Farmacêutica

Cuidados com seu paciente

O que é essencial no papel do cuidador

Por Bruno Bernardino

 

O dia a dia de quem cuida é bastante atarefado, devido à nobre missão que é cuidar bem de um paciente. Este artigo tem o objetivo de esclarecer dúvidas e facilitar seu planejamento diário, englobando várias situações que você pode vivenciar em sua rotina.

 

Higiene do paciente

Quando possível, leve o paciente ao chuveiro em uma cadeira higiênica, caso o paciente não possa andar. A movimentação será benéfica!

Caso o paciente esteja acamado, separe estes materiais: duas vasilhas; uma toalha de banho; sabonete líquido ou em barra; dois panos pequenos; um lençol. Coloque água morna nas duas vasilhas e o sabonete em uma delas. Molhe o pano na água que estiver com sabão. Comece lavando o rosto e ensaboando a parte da frente do corpo do paciente. Com outro pano molhado em água limpa, enxágue. Seque o corpo do paciente ao finalizar, com a toalha de banho. Vire o paciente de lado e lave as costas, repetindo o procedimento.

Para trocar a fralda do paciente: vire-o totalmente de lado e coloque a fralda o máximo que puder por baixo dele. Vire-o totalmente para o outro lado e puxe a fralda. Coloque o paciente de barriga para cima e feche a fralda.

Para a higiene da boca e dentes: a limpeza deve ser feita, pelo menos, duas vezes por dia e após cada refeição. Se o paciente não conseguir usar a escova, deve fazer bochecho com solução de cepacaína.

 

Como mover o paciente

Movimentar o paciente é sempre benéfico e deve ser estimulado.

Para movê-lo na cama: fique do lado correspondente ao movimento de rolar, para evitar a queda do paciente. Se ele estiver de barriga para cima, peça que dobre os joelhos. Caso não tenha forças, faça isso por ele. Peça que gire os joelhos dobrados para o lado desejado, junto ao tronco. Você poderá ajudar apoiando uma mão no quadril dele e a outra atrás do ombro. Evite puxar ou segurar o paciente por um braço ou perna. Dessa forma, o risco de machucá-lo diminui.

Para levantá-lo da cama: vire o paciente para o lado desejado antes de levantá-lo. Evite levantá-lo de barriga para cima, para que não machuque a coluna. Quando for virar o paciente de lado, vire o tronco e as pernas em um só movimento, evitando torções de coluna. Para chegar à posição sentada, levante o paciente abraçando-o pelo tronco.

Sempre que for sentar seu paciente, dê preferência a assentos mais altos, próximos à altura dos joelhos. Lembre-se de encostar a parte de trás dos joelhos do paciente no sofá, na cama ou na cadeira antes de sentá-lo.

 

Como diminuir o risco de queda?

Retire tapetes do caminho do paciente e evite que ele ande de meia. Dê preferência ao uso de calçado de borracha e não deixe os pisos encerados ou molhados. Mantenha os locais por onde o paciente anda bem iluminados. Afaste os móveis para facilitar a locomoção do paciente. Coloque tapetes antiderrapantes dentro e fora do banheiro, principalmente no local do banho. No caso de uso de cama hospitalar, mantenha sempre as grades elevadas, especialmente na ausência do cuidador. No caso de cadeira de rodas, antes de mobilizar o paciente, confira se as rodas estão travadas. Evite que o paciente fique desacompanhado em casa.

 

Como saber se meu paciente precisa de cintas, coletes, calhas ou colares?

A indicação do uso desses materiais é feita pela equipe de Fisioterapia. A orientação correta quanto à colocação do material é dada pelo fisioterapeuta na entrega do material, tanto para o cuidador quanto para o paciente. O uso desses materiais estabiliza ou melhora a posição do paciente. Dessa forma, o paciente se movimenta sem medo de sentir dor ou sofrer uma fratura.

 

Uso de sonda

Caso o paciente use sonda vesical: esvazie a bolsa coletora, lave as partes íntimas com água limpa e sabonete, seque com uma toalha limpa, passe gaze com álcool na extensão da sonda, inclusive bolsa coletora. Prenda a parte amarelada da sonda na coxa do paciente com fixador ou esparadrapo. Mantenha a sonda conectada na bolsa coletora. A bolsa deve sempre permanecer abaixo da cintura do paciente. Não deixe que ela encoste no chão! Em caso de entupimento ou saída da sonda, leve o paciente à emergência do hospital. Faça o curativo duas vezes ao dia!

 

Cuidados para a proteção do paciente

Não se esqueça de sempre lavar as mãos com água e sabão antes e depois de cuidar do doente. Retire anéis, pulseiras e relógios, pois eles podem transmitir doenças. Mantenha a casa limpa e arejada, principalmente o local em que o paciente dorme. Mantenha roupas de cama limpas e troque-as regularmente. Procure não deixar que pessoas com gripe, resfriado ou outra virose fiquem abraçando e beijando o paciente.

 

O paciente usa curativos. Como lidar?

Retire o curativo sujo com cuidado, sempre molhando com água limpa ou soro fisiológico. Lave bem as mãos e coloque um novo par de luvas. Lave a ferida bem, com uma gaze umedecida com água limpa ou soro fisiológico, passando-a ao redor do ferimento. Use outra gaze para o meio da ferida. Por fim, seque com uma gaze sem esfregar. Cubra a ferida com gaze umedecida na solução orientada pelo enfermeiro. Use esparadrapo ou atadura de crepon para prender a gaze. Jogue as gazes no lixo e lave as mãos novamente.

 

Posso jogar os materiais utilizados no cuidado do paciente direto no lixo?

Não. Você deve utilizar uma lixeira separada, forrada com um saco plástico, para jogar materiais sujos, como gaze, luvas, algodão etc.

 

Como limpar objetos sujos por secreção?

Use luvas e tome cuidado para não respingar a secreção em seu rosto e corpo. Limpe os móveis e o chão com desinfetante ou água sanitária. Os panos sujos utilizados na limpeza devem ser tratados do mesmo modo que as roupas sujas de sangue ou secreção. Não misture panos com as roupas do paciente.

 

Limpando roupas sujas

Separe as roupas sujas das demais e dê um primeiro enxágue para tirar a sujeira maior. Deixe de molho por cerca de uma hora em um balde de água misturada com um copo de água sanitária. Lave normalmente, com água e sabão, junto com as outras roupas. Se puder, passe a ferro antes de o paciente usar de novo.

 

O paciente usa oxigênio. Como manusear o cilindro com segurança?

Mantenha o cilindro de oxigênio sobre uma superfície plana e encostando na parede para evitar quedas, em local ventilado e longe do fogo (cigarro, velas, fósforos, isqueiro e gás de cozinha, por exemplo). Quando o cilindro de oxigênio não estiver em uso, mantenha a válvula fechada. Não pendure roupas ou qualquer outro objeto no cilindro.

 

Como manter a segurança dos equipamentos utilizados pelo paciente e prevenir incêndios?

Evite ligar vários aparelhos elétricos na mesma tomada. Confira se os equipamentos (nebulizador ou aspirador) são compatíveis com a voltagem da casa. Caso perceba cheiro de queimado ou fumaça durante a utilização de qualquer equipamento elétrico, desligue-o imediatamente. O paciente não deve fumar na cama, bem como é melhor evitar fumar no ambiente em que ele se encontra.

 

Alimentando o paciente

Se o paciente não come mais como antes, saiba que isso é bem comum. Respeite o desejo da pessoa, fazendo com que ela se sinta cuidada, sempre com orientação de um nutricionista. Nessa situação, não force muita comida; use pratos pequenos; ofereça alimentação variada, mesmo que em pequena quantidade; faça do momento da refeição uma hora prazerosa e tranquila.

Lembre-se: o paciente não deve ser lembrado que já não come como antes. Não chame a atenção dele, dizendo que está perdendo peso.

 

O paciente fica bem alimentado com uma dieta somente líquida?

Sim! O importante é a variedade de alimentos. A alimentação deve incluir frutas, legumes, leites, ovos, carnes e farinhas, sempre preparados como suco, vitamina, mingau e sopa.

 

E se o paciente tem prisão de ventre?

Há várias razões para isso ocorrer, incluindo algumas medicações para dor que diminuem os movimentos intestinais. Além disso, o paciente que fica muito tempo deitado diminui a atividade física e, muitas vezes, não come como antes. Nesse caso, use corretamente a medicação laxativa prescrita pelo médico. Estimule o paciente a beber líquidos, como água, suco e água de coco. Estimule-o a se movimentar sempre que possível. Use alimentos laxativos, conforme orientação do nutricionista. Caso o paciente tenha náuseas ou vômitos, procure orientação com profissionais de saúde, suspendendo a alimentação.

 

Meu paciente está tomando remédios

Você terá sempre a receita médica com o horário da medicação. Não dê medicamentos por conta própria nem por indicação de pessoas não autorizadas. Pela boca, dê o remédio com água, com o paciente sentado ou com a cabeceira bem elevada. Não dê remédios com o paciente deitado, por conta própria ou por indicação de pessoas não autorizadas.

Caso o paciente use sonda, amasse o comprimido e dissolva com água (20ml), puxe pela seringa e coloque na sonda. Sempre lave a sonda com água (60ml) após o uso das medicações.

 

Dores

Se o paciente usa morfina, mas ainda sente dor, existem outras opções para ele. Procure orientações com o médico e nunca administre medicamentos por conta própria.

 

O que saber sobre a morfina?

Não vicia, não traz prejuízos ao paciente e é um remédio para o controle da dor quando já não se consegue alívio com remédios mais fracos. Pode ser tomada junto com outros fármacos para dor, para aumentar sua ação e trazer alívio para o paciente.

 

Importante:

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento da equipe médica. Conserve os fármacos em local fresco, protegido da luz e umidade. Mantenha as medicações fora do alcance das crianças. Não há necessidade de estocar medicamentos e materiais fornecidos pela equipe hospitalar. Em caso de sobra, devolva os remédios fornecidos.

 

Telefones úteis para manter por perto:

Bombeiro: 193

Defesa Civil: 199

SAMU: 192

 

Referência: