Imprensa

Roche aborda a importância de atendimento de saúde sustentável na América Latina

Durante fórum setorial, a empresa enfatizou a necessidade de encontrar soluções de acesso em quatro pilares: conscientização, adoção de terapias inovadoras, reforço da infraestrutura de saúde e melhor acessibilidade de custos

Miami, 18 de maio de 2017 – Segundo a Organização Mundial da Saúde, cerca de 400 milhões de pessoas em todo o mundo carecem de serviços de saúde essenciais¹ - problemática ainda mais acentuada em países em desenvolvimento, como os da América Latina. Um exemplo é a taxa anual de mortalidade por câncer: 1,6 vezes maior na região do que em países de alta renda². Como parte do seu compromisso de impulsionar desenvolvimento e o acesso à saúde na região, a Roche reuniu-se com outras indústrias farmacêuticas, empresas de tecnologia e associações de pacientes, na 11ª conferência eyeforpharma Latin America para compartilhar sua visão sobre como abordar as barreiras regionais do acesso à saúde.

Durante o evento, Jörg-Michael Rupp, presidente da Roche Latin America, apresentou um panorama das quatro principais barreiras que dificultam o acesso à saúde na América Latina: baixo nível de conscientização sobre a doença, demora na adoção de medicamentos inovadores, recursos insuficientes e infraestrutura deficiente acompanhados de uma carência de treinamento aos profissionais da saúde. Na ocasião, Rupp destacou que na Colômbia, por exemplo, aproximadamente 40 a 50% das pacientes com câncer de mama, são diagnosticadas, somente, em estágios avançados³. Neste contexto, ele enfatizou que o impacto econômico total do câncer na América Latina ultrapassa 4 bilhões de dólares, e destacou a importância dos sistemas públicos de saúde estarem estruturados para apoiar os esforços essenciais de combate à doença na região.

“Reconhecemos que o acesso à saúde é um desafio multidimensional; não há uma solução única para todos os casos. É por isso que adotamos uma abordagem abrangente e sistemática, com foco em profundo conhecimento das barreiras à saúde em cada país,” comentou Rupp. “Na Roche, temos como compromisso desenvolver soluções de longo prazo, adequadas a cada realidade, que abram caminho para o acesso equitativo e sustentável”.

A esse respeito, a Roche apresentou alguns exemplos dos seus esforços na América Latina para responder aos desafios da região, como as “Pink Consulting Rooms”, um serviço médico que conta com profissionais treinados para detecção precoce do câncer de mama e aplicação de métodos de atendimento médico padronizados. Ele também destacou o Diálogo Roche”, uma plataforma de conhecimento confiável, independente e gratuita de última geração, que oferece educação médica continuada em nove países da região.

Rupp enfatizou ainda a necessidade de se trabalhar com parceiros em todo o mundo para vencer as barreiras que impedem as pessoas de ter acesso ao atendimento em saúde que necessitam.

“Na Roche, somos comprometidos com a colaboração multidisciplinar na busca do desenvolvimento de soluções efetivas, de longo prazo, que beneficiem o maior número possível de pacientes, considerando as necessidades específicas de cada país da região”, afirmou Rupp.

A conferência Eyeforpharma Latin America, em sua 11ª edição, é o maior evento da indústria farmacêutica na América Latina, situado em Miami, sempre no mês de maio. Este ano, o evento reuniu mais de 200 líderes da indústria, incluindo altos executivos de empresas farmacêuticas e de tecnologia, além de representantes de várias organizações de pacientes.