Imprensa

Os testes de diagnóstico estão mudando os padrões da saúde da mulher

O cuidado com a saúde da mulher mudou drasticamente nos últimos anos, e isso é reflexo do reconhecimento de que cada mulher é única e muda ao longo da vida. Hoje, existem novos protocolos de rastreio e exames avançados que fornecem informações precisas para que as mulheres recebam o tratamento correto no momento correto em cada fase de suas vidas.

 

“O cuidado médico com as mulheres têm melhorando graças a maior conscientização, disponibilidade de novas tecnologias e o maior nível de interesse das pacientes”, disse Graziela Tescarollo da Roche Diagnóstica. “Nós estamos investindo cada vez mais na saúde da mulher e desenvolvendo soluções de diagnóstico inovadoras que atendam às necessidades antes não atendidas, prevenindo doenças e auxiliando médicos a tomar decisões”.

 

Foco no HPV para prevenção do câncer de colo do útero

Câncer de colo do útero é um dos poucos cânceres previníveis, graças à vacinação, rastreio e tratamento precoce. Ainda assim, esse câncer continua a ser o mais comum e mortal para mulheres do mundo todo, levando aproximadamente 270.000 mulheres a óbito a cada ano1.

 

Uma vez que praticamente todos os cânceres de colo do útero (> 99%) são causados por uma infecção persistente do papilomavírus humano (HPV) de alto risco, focar no rastreio do HPV representa uma importante evolução do exame de Papanicolau(2). De fato, o maior ensaio clínico voltado para o rastreio de câncer de colo do útero demonstrou que o rastreio primário do HPV é mais eficaz do que o exame de Papanicolau sozinho3, 4.

 

Inúmeros países do mundo estão implementando o rastreio primário de HPV em seus programas nacionais. Para mulheres com resultado positivo para HPV, o portfólio da Roche também fornece melhores estratégias de triagem, assim como exames de diagnóstico confirmatórios, fornecendo às pacientes e seus médicos maior certeza dos próximos passos a serem dados, ajudando a reduzir suas ansiedades e preocupações.

 

Para os períodos férteis, soluções para fertilidade e cuidados pré-natal

Quando uma mulher decide engravidar, testes diagnósticos podem ajudar tanto a gestante quanto ao seu médico a lidar com questões como fertilidade e pré-eclâmpsia.

 

Problemas de fertilidade afetam 1 em cada 10 casais em todo o mundo5, 6, 7, sendo geralmente tratáveis, levando a casos de gravidez saudáveis e bem-sucedidos. A cada ano mais de 1.5 milhões de reproduções assistidas são realizadas mundialmente, o que resulta no nascimento de 350.000 bebês8. A disfunção ovulatória é a maior causa de infertilidade. (6) O Hormônio Anti-Mülleriano (HAM ou AMH) é um marcador muito importante e preciso da reserva ovariana – quantidade restante de óvulos no ovário9.

 

O exame para quantificação do AMH já está disponível no Brasil. É um exame de sangue simples que fornece resultados claros e confiáveis que podem auxiliar médicos também a determinar a probabilidade da resposta aos medicamentos de fertilização in vitro (FIV).

 

Durante a gravidez, a pré-eclâmpsia afeta cerca de 8,5 milhões de mulheres por ano mundialmente, ou seja, cerca de 1 em cada 20 gestações10, 11. Um novo teste pode predizer quais mulheres grávidas irão ou não desenvolver essa condição com maior certeza do que os exames diagnósticos tradicionais, fornecendo aos médicos maior confiança para focar em mulheres mais propensas a desenvolver pré-eclâmpsia12, 13.

 

Resultados certeiros suportam decisões de tratamento

Adicionalmente, os resultados que os médicos recebem de testes inovadores fornecem suporte para decisões críticas e melhor gerenciamento da saúde da mulher ao longo de suas vidas.

 

“Nossos produtos para a saúde da mulher refletem a paixão com que nosso time de especialistas, incluindo cientistas moleculares, oncologistas, patologistas e ginecologistas, trazem para seus trabalhos”, conclui Graziela Tescarollo. “Todos nós queremos fazer a diferença na saúde da mulher. Nossos testes de rastreio e diagnóstico ajudam os médicos em suas decisões de tratamento o que acarreta à melhor qualidade de vida para mulheres em todo o mundo”.

 

1WHO, ICO. Human Papillomavirus and Related Diseases Report – WORLD Disponível em: http://www.hpvcentre.net/statistics/reports/XWX.pdf. Ultimo acesso em Janeiro de 2017.
2WHO. Human papillomavirus (HPV) and cervical câncer. Disponível em: http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs380/en/. Último acesso em janeiro de 2017.
3Wright TC et al. Gynecol Oncol. 2015; 136(2):189-197.
4Cuzick J  et al. Int J Cancer. 2006;119(5):1095-1101.
5CDC. National Survey of Family Growth (2006–2010). Disponível em: http://www.cdc.gov/nchs/data/nhsr/nhsr051.pdf. Último acesso em Janeiro de 2017.
6CDC. ART National Summary Report 2011. Disponível em: https://www.cdc.gov/art/ART2011/PDFs/ART_2011_National_Summary_Report.pdf. Último acesso em janeiro de 2017.
7ASRM. Quick facts about infertility. Disponível em: http://www.asrm.org/detail.aspx?id=2322. Último acesso em janeiro de 2017.
8European Society of Human Reproduction and Embryology. “World’s number of IVF and ICSI babies has now reached a calculated total of 5 million.” ScienceDaily, 2 July 2012. Disponível em: www.sciencedaily.com/releases/2012/07/120702134746.htm. Último acesso em janeiro de 2012.
9American College of Obstetricians and Gynecologists. Obstet Gynecol. 2015; 125:268-73.
10Telang MA et al. Placenta. 2013;34(1):2-8.
11Anderson UD et al. Placenta. 2012;33 suppl:S42-S47.
12Verlohren S et al. Am J Obstet Gynecol. 2010;202(2):161.e1-161.e11.
13Zeisler, H., et al. N Engl J Med. (2016);374(1):13-22.