Por dentro da Roche

Heart Care vence o Desafio de Startups “Empowering patient data to redefine healthcare” Roche 2018

Em sinergia com transformação digital na saúde, anunciamos hoje, em um encontro na sede da Roche em São Paulo, os finalistas e o vencedor do Desafio 2018 “Empowering patient data to redefine healthcare” para startups - cujo objetivo foi captar projetos com abordagens inovadoras em gestão de dados para o setor de saúde.

A vencedora foi a Heart Care, uma plataforma que reúne diariamente, e em qualquer lugar, dados da sequência cardíaca do usuário. Dispensando a exigência de qualquer ferramenta, o paciente consegue monitorar a saúde do seu coração e manter-se atualizado com suas responsabilidades médicas. Além disso, a solução propõe possíveis exames, primeiros socorros e serviços de emergência quando necessário. O objetivo é potencializar o incentivo à prevenção, o fomento aos cuidados com a saúde e o aumento da qualidade de vida de seus usuários.

Além da Heart Care, foram finalistas:

  • Helpbell – focada em monitoramento em tempo real de pacientes que estão usando medicamentos, para aprimorar o tratamento e decisões médicas;
  • Mindify – inteligência artificial aplicada a protocolos médicos para validar dados clínicos e sugerir possíveis diagnósticos;
  • Avicena – utilização de inteligência artificial em sistemas de saúde para compartilhar dados com pacientes, médicos e gestores;
  • WeCâncer – aplicativo para registrar sintomas de pacientes oncológicos, permitindo o monitoramento por médicos e envio de alerta aos hospitais.

Com o título Empowering patient data to redefine healthcare, o desafio tinha duas categorias: #obterdados, voltada à obtenção e ao aproveitamento de dados gerados durante a jornada do paciente; e #TratarPreverComDado, voltada a soluções que transformem os dados coletados na jornada do paciente em conhecimento capaz de acelerar pesquisas e/ou melhorar os cuidados com os pacientes.

Premiação

Como prêmio, o projeto vencedor poderá escolher entre um programa de imersão equity-free na Digital Health Accelerator da Roche Diagnóstica, em Munique (Alemanha); subsídio de serviços de consultoria para auxiliar a startup na definição do seu modelo de negócio, entre outros; ou participar de uma missão Vale do Silício (organizada pela StartSe), com programação de uma semana, que inclui networking e visitas a grandes centros de inovação.