Farmacêutica

Para prevenir e tratar

Vacinas estão entre as modalidades da imunoterapia no combate ao câncer

As vacinas anticâncer agem de forma semelhante às demais, estimulando ou recuperando a capacidade do sistema imunológico em lutar contra doenças (1). 

Há as vacinas preventivas, usadas para tentar evitar o desenvolvimento do câncer em pessoas saudáveis, e as do tipo terapêutico, utilizadas para tratar tumores por meio do fortalecimento da resposta natural do sistema imunológico (1), responsável por defender nosso organismo. As vacinas terapêuticas são, em geral, “personalizadas”, ou seja, elaboradas a partir das próprias células do tumor do paciente ou de substâncias produzidas por elas (2).

No Brasil, estão disponíveis vacinas para a prevenção do HPV (vírus do papiloma humano) e da hepatite B, cuja progressão pode levar ao surgimento de tumores. Há também versões terapêuticas, aprovadas pela ANVISA (Agência de Vigilância Sanitária), para o tratamento do câncer de pele (melanoma) e de rim (carcinoma renal) (3). Nos EUA, além das vacinas preventivas contra o HPV e hepatite B, foi aprovado o uso de uma vacina para tratar o câncer de próstata com metástase (quando o câncer se espalha para outras partes do corpo) (1).

 

Referências

(1) National Cancer Institute. Cancer Vaccines. What are cancer vacines? Disponível em: https://www.cancer.gov/about-cancer/causes-prevention/vaccines-fact-sheet#q4

(2) National Cancer Institute. Immunotherapy: Using the Immune System to Treat Cancer. Cancer Treatment Vaccines. Disponível em: https://www.cancer.gov/research/areas/treatment/immunotherapy-using-immune-system

(3) Vacina contra câncer no mercado. Revista Ciência Hoje. Edição 217, 01.07.2005. Disponível em: http://www.cienciahoje.org.br/revista/materia/id/97/n/vacina_contra_cancer_no_mercado