A sociedade sempre pode contribuir no processo de incorporação de uma nova tecnologia no SUS, seja por meio de enquetes, consultas públicas ou audiências públicas, o que faz todo o sentido já que, se aprovada a incorporação, o novo medicamento se tornará disponível para toda a população e será objeto de utilização pelos pacientes e profissionais da área da saúde de todo o Brasil.

A Enquete, sendo uma das formas de participação popular nos processos de incorporação, contribui para a atualização ou elaboração dos PCDTs que são os chamados Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas, sempre obrigatórios nos processos que avaliam referidas incorporações.

Já no caso da Consulta Pública, mecanismo de publicidade e transparência utilizado pela Administração Pública para obter informações, opiniões e críticas da sociedade, ampliando a discussão e embasando decisões, é fundamental a análise do Parecer Técnico emitido pela Conitec (Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS) e, em seguida, os cidadãos estão aptos a opinar sobre o processo de incorporação que está sendo proposto.

É importante se ater ao preenchimento eficiente do formulário de solicitação desta nova incorporação, abordando no formulário com opinião, no caso de pacientes e sociedade civil em geral, questões sobre qualidade de vida relacionadas à doença com e sem tratamento, desfechos importantes correlatos, comodidade posológica e eventos adversos. Já para profissionais da área da saúde, por se tratar de uma contribuição técnico científica, se faz necessário anexar dados e referências para a efetividade do preenchimento do formulário e apuração de seu conteúdo, além de todas as informações anteriores exigidas também dos solicitantes pacientes.

Poderá também ser convocada uma Audiência Pública, que é a terceira forma de participação popular nos processos de incorporação, consistindo em uma reunião popular aberta ao público, com especialistas para discutir o tema da incorporação.

 

INFORMAÇÕES IMPORTANTES QUE DEVEM CONSTAR NOS FORMULÁRIOS¹

 

As contribuições da sociedade podem incluir informações sobre a doença/condição e a tecnologia que está sendo usada.

 

A DOENÇA/CONDIÇÃO

 

A natureza da doença/condição

  • Manifestações a curto ou a longo prazo;
  • Alguns sintomas;
  • Sintomas de difícil convivência
  • Se a doença/condição é fatal ou não.

 

As condições que ela impõe à:

  • Vida cotidiana;
  • Habilidade para trabalhar;
  • Vida Social;
  • Satisfação dos familiares e amigos.

 

Vídeo Recomendado:


O impacto sobre o bem-estar mental da pessoa.

 

Atividades que as pessoas que convivem com a doença/condição acham difíceis.

 

Caso haja dor em decorrência da doença/condição e/ou do tratamento.

  • Como a dor interfere nas atividades diárias;
  • Se a medicação para dor precisa ser administrada regularmente;

 

Aspectos da doença/condição com os quais os pacientes acham mais difíceis de lidar.

 

A TECNOLOGIA QUE ESTÁ SENDO AVALIADA

 

O que os pacientes e os cuidadores esperam de uma nova tecnologia.

 

Quais benefícios se comparam aos dos tratamentos existentes.

 

Se ela ajuda as pessoas afetadas a viverem melhor.

 

Quão importantes os benefícios são para o paciente.

 

Quais efeitos indesejáveis a tecnologia provoca, se são comparáveis aos de outros tratamentos e se estão em equilíbrio em relação aos benefícios potenciais.

 

O impacto financeiro da tecnologia na vida do paciente.

 

Referências bibliográficas: 1. Brasil, Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde [Internet]. Entendendo a incorporação de tecnologias no SUS – como se envolver. Brasília: Ministério da Saúde; 2016 [acesso em 2019 Mai 20]. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/entendendo_incorporacao_tecnologias_sus_envolver.pdf. 2. Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS [Internet]. Consultas públicas. [Atualizado em 2019 Mai 14; acesso em 2019 Maio 20.] Disponível em: http://conitec.gov.br/consultas-publicas#consultas.


Processo de incorporação de tecnologias no Sistema Único de Saúde (SUS) é uma publicação periódica da Phoenix Comunicação Integrada patrocinada por Roche. Jornalista Responsável: Cristina Balerini Sanches (MTb: 24621). Endereço: Rua Dom João V, 344 – CEP 05075-060 – Lapa – São Paulo – SP. Tel.: (11) 3645-2171 – Home page: www.editoraphoenix.com.br – E-mail: [email protected] Todos os direitos reservados. Este material não pode ser publicado, transmitido, divulgado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização da editora.