O que faz uma doença ser considerada como rara?

No Brasil, considera-se doença rara aquela que afeta até 65 pessoas em cada 100.000 indivíduos, ou seja, 1,3 pessoas para cada 2.000 indivíduos. Na União Europeia, menos de 1 em 2.000. Nos Estados Unidos, o número é de menos de 200.000 pessoas afetadas por uma doença

Comprometida com os pacientes, a Roche tem dedicado esforços para levar cada vez mais qualidade de vida para quem convive com doenças raras, como poliangiite microscópica (MPA), linfoma não-Hodgkin, fibrose pulmonar idiopática, hemofilia A ou deficiência de hormônio do crescimento.

“O foco é dar continuidade à busca de respostas e testes de diagnóstico para doenças raras às pessoas que mais precisam. Todo o conhecimento dos cientistas e clínicos da Roche estão direcionados neste momento para o objetivo de criar terapias transformacionais que permitam que pessoas que vivem com doenças raras, fatais ou limitantes possam lidar com os desafios do dia a dia de forma positiva."
Mathew Pletcher, Líder Pesquisa Científica e Desenvolvimento em Doenças Raras na Roche Suíça. 

Atualmente, estamos focando em pesquisas dentro de quatro áreas de doenças raras: