Publicado em 3 de maio de 2019

 

O distúrbio do espectro da neuromielite óptica (NMOSD) é uma condição autoimune rara, vitalícia e debilitante do sistema nervoso central (SNC) afetando apenas algumas centenas de milhares de pessoas globalmente.

 

NMOSD danifica primariamente o nervo óptico e a medula espinhal, que pode causar cegueira, fraqueza muscular e paralisia.

NMOSD geralmente atinge o auge da vida das pessoas, quando elas estão na casa dos 30 e 40 anos.

Maria foi diagnosticada com NMOSD 13 anos atrás. Com seu marido de mais de 20 anos, Jesus, eles encaram a realidade do dia a dia desta doença, mas ainda aproveitam a vida em conjunto. Eles compartilham sua história aqui.

 

Escalando a montanha | A jornada de Maria e Jesus com NMOSD

 

No NMOSD, o sistema imunológico confunde os tecidos normais do SNC como estranhos e ataca o nervo óptico e a medula espinhal. A causa exata do NMOSD permanece desconhecida.

Embora a maioria dos casos de NMOSD possa ser confirmada durante um exame diagnóstico, as pessoas que vivem com a condição ainda são frequentemente diagnosticadas erroneamente com esclerose múltipla, devido às características sobrepostas, incluindo sua maior prevalência em mulheres, seus sintomas e o fato de ser uma doença com base em recidivas.

 

Avery foi diagnosticada com apenas 19 anos, e devido aos avanços na área, recebeu um diagnóstico imediato e preciso. Apesar de receber a notícia tão jovem, Avery permaneceu fiel a quem ela é. Você pode ouvir a história dela aqui.

 

Avery | Eu ainda sou a mais antiga das NMO's

 

Há esperança para o otimismo. Pela primeira vez na história, temos ferramentas, tecnologia e conhecimentos científicos que levarão a novos tipos de medicamentos que podem alterar condições como o NMOSD. Estamos empenhados em perseguir os desafios da neurociência com a mesma curiosidade, paixão e rigor que temos feito na oncologia.

 

O impacto e o futuro do NMOSD

NMOSD é progressivo, o que significa que os sintomas continuam a se desenvolver com cada recidiva, geralmente deixando pessoas em cadeiras de rodas ou cegas. Aprenda mais sobre os fatos e estatísticas principais para entender mais sobre o NMOSD, seu impacto e o porquê a Roche está comprometida em auxiliar as pessoas vivendo com a condição.

Não há cura para NMOSD e existem opções de tratamento limitadas, mas, na Roche, estamos conduzindo pesquisa extensa para auxiliar no fornecimento de abordagens inovadoras para o tratamento que, esperançosamente, oferecerá as pessoas com NMOSD uma qualidade de vida melhorada. A nossa filosofia é simples: seguir a ciência para auxiliar a preservar o que torna as pessoas o que elas são.

Há esperança para o otimismo. Pela primeira vez na história, temos ferramentas, tecnologia e conhecimentos científicos que acreditamos que levarão a novos tipos de medicamentos que podem alterar condições como o NMOSD. Estamos empenhados em perseguir os desafios da neurociência com a mesma curiosidade, paixão e rigor que temos feito na oncologia.