O fígado é a máquina de processamento químico do corpo, crucial para remover toxinas, bem como para distribuir e armazenar nutrientes essenciais. Esse órgão contribui para o bom funcionamento do sistema imunológico, da digestão a produção de hormônios dentre outros processos fisiológicos.1 Felizmente, ele tem a capacidade única de se regenerar, mesmo quando danificado pelas toxinas que ele processa para você.2

 

Tendo isso em mente, é compreensível as pessoas pensarem que ele seja indestrutível. Contudo, o câncer de fígado é um dos poucos tipos em que a incidência está aumentando.3 O carcinoma hepatocelular (CHC), câncer primário de fígado, corresponde a 90% de todos os casos.4

 

Mas o que tem causado este aumento?

 

O fígado destrutível

 

Você provavelmente deve estar ciente da ligação entre bebidas alcoólicas e o fígado, mas você já pensou sobre o que mais pode impactar o fígado?

Em todo o mundo, o fator de risco mais comum para CHC é a hepatite viral6 – conhecida por causar inflamação do fígado.4 A infecção crônica pelo vírus da hepatite B está associada a cerca de 50% de todos os casos de CHC e a maioria dos casos de CHC na infância.7 Outros fatores de risco incluem aflatoxina – uma toxina cancerígena produzida por fungos encontrada em alimentos contaminados, como o arroz. 
4

 

Um fator de risco cada vez mais importante para o desenvolvimento de CHC é a doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA), associada à resistência a insulina e à obesidade.8 Por exemplo, nos EUA, o número de casos de câncer de fígado dobrou desde a metade dos anos 1980, sendo considerada a taxa de crescimento mais rápida de qualquer câncer. Acredita-se que isso se deve, em parte, a este fator de risco, somado ao consumo de bebidas alcoólicas.9 Nos últimos anos, a incidência e prevalência da DHGNA têm crescido em outras regiões, tal como a Ásia.10

 

O poder da prevenção

 

A Hepatite B viral tem uma prevalência particularmente alta na maioria dos países asiáticos,6,11 e essa prevalência contribui diretamente para incidências maiores de CHC na região.6

 

Na América do Norte e Europa, a hepatite C (VHC) é a causa predominante de desenvolvimento de CHC12 – nos EUA, VHC foi associado a 34% dos casos de CHC.12

Nos anos de 1980 e 1990, grandes avanços foram feitos na China e em outras partes da Ásia para lidar com a hepatite B, em um esforço para reduzir o número de casos de CHC, através de programas universais de vacinação.13,14

 

 

Graças a estes esforços, os dados mostram que a incidência de CHC está começando a diminuir em em algumas áreas da Ásia. 7 – por exemplo, Taiwan cortou pela metade a incidência de CHC na infância dentro de uma década.14

De maneira semelhante, se detectada no início e com alterações adequadas na dieta e exercícios, alguns danos causados pela doença hepática, podem ser revertidos.15

 

Diagnóstico precoce, fígado mais saudável

Receber o diagnóstico de câncer pode ser devastador, mas imagine viver com CHC por um período sem saber; no momento do diagnóstico, é provável que suas opções de tratamento sejam limitadas.4,16,17,18

Muitos casos de câncer de fígado são diagnosticados em um estágio avançado, geralmente assim que os sintomas aparecem,4 .

Como explicamos aqui, os sintomas do câncer de fígado demoram para aparecer e muitos dos casos são diagnosticados somente quando esses sintomas de fato se manifestam4, o que pode reduzir em até 50% a sobrevida em um ano. Quando diagnosticado de forma antecipada, pode ser possível remover o câncer por completo e, por isso, é muito importante manter o acompanhamento médico regular.16 

 

Cuidados Atuais

 

Os tratamentos disponíveis para pessoas em todos os estágios do câncer de fígado são limitados e ainda menores caso o diagnóstico seja de estágio avançado.

As opções atuais de tratamento incluem:18

- Cirurgia

- Transplante de fígado

- Embolização, que envolve o bloqueio do fluxo de sangue que chega às células cancerígenas no fígado

- Destruição das células de câncer com calor ou frio (procedimentos de ablação)

- Quimioterapia ou radiação diretamente nas células cancerígenas

- Radioterapia usando energia a partir de raios X ou prótons

- Terapias com medicamentos direcionados, tais como inibidores de tirosina cinase

 

 

Uma ajuda concreta

 

Desenvolvimentos recentes na triagem, vacinações e novos tratamentos são grandes avanços, mas com 756.000 casos novos de CHC diagnosticados a cada ano em todo o mundo,4,5 novas pesquisas e melhor entendimento desta doença complexa são urgentemente necessários.

Inibidores dos pontos de controle imunológico, dentre os quais alguns são direcionados às proteínas PD-L1 e PD-1, estão sendo explorados como nova opção de tratamento para as pessoas com CHC.19

Acreditamos que os pacientes diagnosticados com CHC merecem um número maior de opções. Nossa esperança para o futuro é ser uma ajuda concreta para aqueles que precisam.

 

Referências[BL{P1]

 

  1. British LiverTrust. [Internet; citado em 24 de maio de 2019] Disponível em: https://www.britishlivertrust.org.uk/liver-information/.
  2. MichalopoulosGK. Liverregeneration. J CellPhysiol. 2007;213(2):286–300.
  3. RyersonAB, Eheman CR, AltekruseSF, et al. AnnualReporttotheNationonthe Status ofCancer, 1975-2012, featuringtheincreasingincidenceoflivercancer. Cancer. 2016;122(9):1312-1337.
  4. Llovet et al. Hepatocellular carcinoma. Nat RevDisPrimers. 2016;2:16018.
  5. World Health Organisation: Globocan 2018 – Livercancerfactsheet. [Internet; citado em 8 de maio de 2019] Disponível em: http://gco.iarc.fr/today/data/factsheets/cancers/11-Liver-fact-sheet.pdf
  6. Tanaka, M., Katayama, F., et al. Hepatitis B and C VirusInfectionandHepatocellular Carcinoma in China: A ReviewofEpidemiologyandControlMeasures. JournalofEpidemiology. 2011;21(6):401-416.
  7. El-Serag, H. Epidemiologyof viral hepatitisandhepatocellular carcinoma. Gastroenterology. 2012;142(6):1264-1273.
  8. Dimitroulis et al. Fromdiagnosistotreatmentofhepatocellular carcinoma: Anepidemicproblem for bothdevelopedanddeveloping world. World J Gastroenterol. 2017;23(29):5282-5294.
  9. Islami F., Miller, K. et al. Disparities in livercanceroccurrence in the United Statesbyrace / ethnicityandstate. Ca Cancer J Clin. 2017;67:273–289.
  10.  Wong SW, Ting YW, Chan WK. Epidemiologyof non-alcoholicfattyliverdisease-relatedhepatocellular carcinoma and its implications. JGH Open. 2018;2(5):235-241.
  11.  Shan S. Cui F. Jia J. Howtocontrolhighlyendemichepatitis B in Asia. LiverInternational. 2018;38:122-125.
  12.  Axley, P. et al. Hepatitis C virusandhepatocellular carcinoma: a narrativereview. J ClinTranslHepatol. 2018;6:79-84.
  13.  Zheng et al. The landscapeofvaccines in China: history, classification, supply, andprice. BMC InfectiousDiseases. 2018;18:502
  14.  Chen. Hepatocellular carcinoma in Taiwan. HepatologyResearch. 2007; 37:S101-S105.
  15.  NHS. [Internet; citado em 24 de maio de 2019] Disponível em: https://www.nhs.uk/conditions/non-alcoholic-fatty-liver-disease/.
  16.  Giannini G, et al. Prognosisofuntreatedhepatocellular carcinoma. Hepatology. 2015;61(1),184-190.
  17.  Wu Q,.andQin S., FeaturesandtreatmentoptionsofChinesehepatocellular Carcinoma. Chin ClinOncol 2013;2(4):38.
  18.  Marrero, J., Kulik L., et al. Diagnosis, staging, and management ofhepatocellular carcinoma: 2018 practiceguidancebythe American Association for theStudyofLiverDiseases. Hepatology. 2018;68(2).723-750.
  19.  Okusakaand Ikeda. Immunotherapy for hepatocellular carcinoma: current status and future perspectives. BMJ ESMO Open 2018;3:e000455.