Media Release

São Paulo, 17.09.2019

Einstein foi o primeiro hospital do Brasil a implementar a Troponina de Alta Sensibilidade (TnT-hs) com uso do algoritmo de 0/1h preconizado pela Sociedade Europeia de Cardiologia

A instituição utiliza Troponina de Alta Sensibilidade e Solução Point of Care da Roche para o Protocolo de Dor Torácica

 

O Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) é causado pela interrupção do fluxo sanguíneo para partes do coração, causando a morte das células cardíacas. Isso acontece principalmente devido ao bloqueio de uma artéria coronária seguida da ruptura de uma substância chamada placa arterial da parede interna das artérias. Um diagnóstico rápido e preciso é essencial quando pacientes chegam com dor torácica aguda e suspeita de infarto agudo do miocárdio (IAM) no Pronto Socorro. A cada 30 minutos de atraso entre os sintomas e o início do tratamento, aumenta em 7,5% a possibilidade de morte em um ano.1

Os algoritmos rápidos surgiram com a introdução da Troponina de alta sensibilidade na prática clínica mundial, divulgado em 2015 pela Sociedade Europeia de Cardiologia.

Especialmente os algoritmos de 0-1 hora foram validados por quatro estudos já publicados mundialmente2, onde cerca de 4.000 pacientes foram estudados e na primeira hora de admissão na emergência, mais de 75% dos pacientes foram excluídos do diagnóstico de IAM.

A grande importância desses algoritmos rápidos é a segurança na exclusão do IAM e também na confirmação do diagnóstico de pacientes com IAM. Antes da Troponina de Alta Sensibilidade, esse processo levava de 6 a 9 horas para acontecer, o que acarretava maior tempo do paciente nas emergências e demora no diagnóstico de IAM também.

Utilizando o algoritmo de 0/1 desde junho de 2019, o Einstein foi o primeiro hospital do Brasil a seguir essa diretriz utilizando a TnT-hs da Roche, que é uma Troponina de 5ª geração, com alta sensibilidade e especificidade.

Os resultados do estudo TRAPID-AMI3 mostram que o teste de Troponina T de Alta Sensibilidade (TnT-hs) fornece um diagnóstico rápido e seguro dentro de um tempo de observação de 1 hora. Esse tempo é menor do que o de 3-6 horas necessários no método convencional de diagnóstico.

Além da TnT-hs, o Einstein implementou em suas unidades remotas a Troponina T Point of Care que tem uma correlação de 98% com a TnT-hs4 e garante padronização do resultado independente do lugar onde é realizado.

“Com a chegada das Troponinas de Alta Sensibilidade à prática clínica, a reestruturação dos protocolos de dor torácica se faz necessária.  O protocolo de 0/1 hora é custo efetivo e seguro para o atendimento dos pacientes com suspeita de Infarto do Miocárdio e o Einstein foi pioneiro na sua implantação no Brasil”, afirma Carlos Eduardo dos Santos Ferreira, gerente médico de patologia clínica da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein.

 

Referências

1. De Lucca, G. et al. (2004). Circula tion 109(1

2. APACE-2012, APACE-2015, TRAPID-AMI e Mokthari A

3. Mueller, C. et al. (2015).Ann Emerg Med,in press 

4. Jungbauer C., et al. (2017). Clin. Lab. 2017;63:xx-xx. DOI: 10.7754/Clin.Lab.2016.160814