Roche apoia iniciativa do Instituto Avon que ajuda mulheres vítimas de violência


Conheça a Ângela, assistente virtual que já atendeu mais de 4.700 mulheres    
                                

 

No Brasil, a cada 2 minutos, uma mulher sofre de violência doméstica. Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), entre março e abril de 2020, os casos de feminicídio aumentaram em 22,2% em 12 estados. Ao todo, foram registradas 105.821 denúncias de agressão contra a mulher. Um levantamento feito pelo governo federal mostra que as vítimas são, em sua grande maioria, mulheres pardas na faixa dos 35 aos 39 anos, possuem ensino médio completo e renda de até um salário mínimo.

 

Com base nesses dados, não dá para negar que, com a chegada da pandemia do coronavírus, os casos de mulheres que sofrem violência doméstica aumentaram drasticamente. As mulheres passaram a conviver em tempo integral com seus agressores, tornando a denúncia mais difícil.

 

Há 18 anos, o Instituto Avon apoia causas femininas e atua no combate ao câncer de mama e o enfrentamento de violências contra meninas e mulheres. Pensando nesse cenário de aumento da violência, o instituto criou a Ângela, no início de 2020, uma assistente virtual que tem como objetivo ajudar as mulheres em situação de violência doméstica.  Ela orienta a vítima de forma discreta, sem chamar atenção do agressor.

 

A ferramenta já ajudou mais de 4.700 mulheres no Brasil. Diversas empresas apoiam a iniciativa, com o propósito de aumentar o número de denúncias. Empresas essas, que fazem parte da Coalizão Empresarial pelo Fim da Violência Contra Mulheres e Meninas, criada pela Avon e pelo Instituto Avon, em parceria com a ONU Mulheres e Fundação Dom Cabral. Ao aderirem à iniciativa, as empresas juntam suas forças na divulgação da ação para suas colaboradoras e seu público externo, fazendo com que o chatbot alcance cada vez mais mulheres.

 

A Roche faz parte deste movimento que tem como objetivo incentivar as empresas a proporcionar ambientes seguros para as mulheres, a fim de que não sofram nenhum tipo de assédio, seja moral ou sexual. A iniciativa também fomenta o suporte às mulheres para que elas se sintam acolhidas no ambiente corporativo e pessoal.

 

“O apoio a iniciativas como o chatbot da Ângela é extremamente importante. Esse é um exemplo de esforço coordenado que devemos desenvolver para que possamos evoluir com a agilidade que o tema ´violência contra a mulher´ demanda. Cada vez mais torna-se necessário ações em rede, que promovam a união de diversas instituições, de diferentes setores e portes, para levar ao alcance de um número cada vez maior de pessoas e impactar quem realmente precisa de ajuda", afirma Sarah Chaia, Diretora Jurídica, Responsabilidade Social e Sustentabilidade, Health Policy e Parcerias Sustentáveis & Compliance Officer da Roche Farma.

 

Caso você ou alguma mulher que você conheça sofra qualquer tipo de agressão, basta mandar uma mensagem no WhatsApp da Ângela. Ao receber sua mensagem, ela fará perguntas objetivas para compreender  qual o grau de vulnerabilidade às quais você está submetida   Assim que acolhida, a atendida é direcionada a acessar recursos como plataformas de apoio psicológico e jurídico, auxílios de transporte, suporte material para alimentação, entre outros serviços. As formas de ajuda não param por aí. A Ângela também auxilia a mapear serviços de apoio à mulher em situação de violência no Brasil todo, além de oferecer alimentação e abrigo temporário.

 

A Ângela pode ser acionada neste link ou via Whatsapp no número (11) 94494-2415.

 

Para saber mais sobre a ação, basta acessar: http://www.institutoavon.org.br/angela.

 

Alie-se também a esta causa e compartilhe a Ângela em suas redes sociais e grupos de amigos. Lembre-se que alguém pode estar precisando muito dessa ajuda.