No mês em que o mundo se dedica à conscientização sobre o câncer de mama, a Roche reforça a importância do Movimento Vem Falar de Vida, que debate a saúde da mulher no ano inteiro

 

O câncer de mama se tornou, neste ano, o tipo de tumor mais comumente diagnosticado no mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde e a Agência Internacional de Pesquisa em Câncer, ultrapassando o câncer de pulmão. Projeções dessas mesmas instituições apontam que o número de pessoas diagnosticadas com câncer como um todo será quase 50% maior em 2040 do que em 2020. No Brasil, o número de novos casos de câncer de mama ao ano é de 66 mil, o que corresponde a quase 30% dos casos totais, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA).

 

Neste cenário tão crítico, o diagnóstico precoce é fundamental para aumentar as chances de vida, possibilitando tratamentos com melhores resultados e cirurgias menos invasivas. E para conseguirmos realizar diagnósticos cada vez mais precoces, é necessário desmistificar a doença, reduzindo o estigma e o medo acerca dela, uma vez que o câncer de mama é tratável.

 

Pensando nisso, em 2020, a Roche lançou o movimento Vem Falar de Vida com o intuito de conscientizar as mulheres sobre a importância do cuidado durante todo o ano. Como existem diferentes tipos de câncer de mama e existem, também, diversos tipos de tratamento, receber os cuidados adequados, no tempo correto, amplia de forma significativa as chances de cura. São pequenos atos que fazem toda a diferença.

 

A iniciativa tem como objetivo formar uma rede que promove a conscientização sobre o câncer de mama. Hoje o movimento conta com mais de 100 parceiros, entre eles Lindoya Verão, Movimento Mulher 360 e Onodera Estética. 

 

O câncer de mama não espera outubro chegar, o cuidado é agora!

 

Ações do Vem Falar de Vida

Dados revelam o quanto o câncer de mama afeta ou não um namoro

O movimento Vem Falar de Vida, em parceria com o aplicativo de namoro happn, fez um levantamento de dados importante. Em uma pesquisa realizada com 1.600 homens e mulheres no Brasil sobre saúde e relacionamento, no qual o câncer de mama foi altamente considerado, somente 48% dos respondentes afirmaram que incentivaram as mulheres de suas vidas, entre irmãs, mãe, amigas a realizarem seus exames periódicos para identificação do câncer de mama independente da época do ano.  Uma parcela afirmou que sim, especialmente em outubro (11%), mês dedicado à doença. Todavia, 30% nem ao menos recordou-as de fazer isso, e infelizmente, 11% menciona que não as incentivaram. 

 

Outro dado alarmante: quando o assunto é começar um namoro com um diagnóstico de câncer de mama, 10% considera ser um impedimento, 28% falou que é difícil saber até estar na situação e 62% garantiu que não, ou seja, a grande maioria, afirmou que não. Ao tratar de continuar um namoro, 76% se sente confortável em levar adiante; 7% afirma que a doença é um impedimento e 17% responderam que talvez.

Amor a Toda Prova

Não à toa, a Roche acredita em uma rede de apoio, por isso criou o Amor a Toda Prova, uma ação dentro do Movimento Vem Falar de Vida que busca conscientizar a sociedade sobre a importância de uma rede de apoio mais assertiva no processo de auxílio às mulheres com câncer de mama, além de destacar que os cuidados a esta paciente podem ser prestados por qualquer indivíduo. Se engana quem acha que só as mulheres exercem a função de cuidadoras na família, os homens também assumem este papel, pois são grandes aliados da mulher nesta etapa, já que a paciente com câncer de mama demanda cuidados diários emocionais e físicos.

Onco para Não Oncos

Pensando em tornar a temática do câncer de mama mais palpável para o público leigo, o Movimento Vem Falar de Vida lançou o Projeto Onco Para Não Oncos. A partir desta iniciativa, nosso objetivo é promover uma conversa descomplicada e leve sobre câncer de mama com o auxílio de profissionais qualificados.

Série 95%

Em parceria com o Podcast Mamilos, o movimento apresenta a série “95%”, uma áudio-ficção onde as apresentadoras, Cris Bartis e a Ju Wallauer saem de cena para se tornarem a narradora e Estela, uma mulher diagnosticada com câncer de mama, que agora, após o tratamento, está em busca da vida que deseja levar. Uma história construída a partir dos relatos de 7 mulheres que abriram o coração e a sua vida. Vem se apaixonar por Estela e por sua trajetória. Até dezembro, 95% terá um episódio por mês. Confira o episódio de setembro aqui. 

Bate papo com a Marie Claire

A última ação que envolve o tema é a parceria com o Celina, projeto editorial da marca O Globo, que juntamente com a Marie Claire, irá fazer vários conteúdos voltados ao câncer de mama e o autocuidado em si. Dentre as pautas abordadas, a primeira foi uma live realizada no dia 28/09, às 10h, cujo tema foi “Quem cuida da Mulher Maravilha?” Entre as convidadas estavam a apresentadora, escritora e palestrante, Rafa Brites; a apresentadora, jornalista e atriz, Ana Furtado; a médica ginecologista obstetra e mastologista, Diretora da Clínica Pinotti e membro do Grupo de cirurgia oncológica e mamária da Beneficência Portuguesa, Marianne Pinotti e a Mestre em Psicologia formada pela PUC-RJ, Marcia Praga, sob mediação da jornalista da Globo Constança Tatsch. 

 

Como curiosidade, uma característica comum a todas elas é que, em algum momento de suas vidas, o câncer de mama já as afetou, mas com o conhecimento e a rede de apoio corretos, estas mulheres diagnosticadas com câncer de mama conseguiram superar todos os obstáculos que foram aparecendo em suas vidas.

Lives Mensais

Com o intuito de tornar a informação cada vez mais acessível e estreitar o diálogo entre especialistas e a comunidade, a Roche, ao lado do Hospital Pérola Byington, têm realizado lives informativas sobre o câncer de mama. Nesta trajetória, já conversamos sobre diagnóstico, recuperação, cuidados e outros temas, sempre de forma leve e empática. Confirma as lives anteriores aqui.




Não deixe de conferir todas as iniciativas do Movimento Vem Falar de Vida e lembre-se, é importante realizar seu check up do câncer de mama independente da época do ano.